Semiótica

"Forcei-me a mim proprio a contradizer-me para evitar conformar-me com o meu proprio gosto"
Marcel Duchamp

Com os teus me vejo todos os dias.
Num olhar inquieto.
De fumo.
Ainda à pouco a manhã se levantou e eu anseio para que a noite caia
Pelas tuas mãos, corro de novo este caminho que conheço tão bem
Escrever em todas as paredes aquilo que me segredas ao ouvido.
Da luz que rompe pelo céu sai sua santidade na terra
num olhar embaciado.